You live the surprise results of old plans

Já era quase o fim da viagem, dentro de 2 horas eu partiria para Budapeste, a ultima parada antes da volta à Itália e, consequentemente, da volta ao Brasil. Berlin não é uma cidade especialmente amorosa e acolhedora e eu já estava cansada de tanto andar e ver, era muito informação. Sentei na Alexanderplatz e me deixei sentir a leve melancolia da cidade, ainda com ares pesados de muro, guerras e sofrimento, pelo menos para mim. Na minha grande peregrinação por museus, saí da Bauhaus e fui direto para o Hamburg Hauptbanhof, museu de arte contemporanea feito em uma antiga estação de trem, que era ao lado da estação (super)nova de onde meu trem noturno iniciaria sua viagem de 14 horas rumo ao leste europeu.

No segundo andar, numa parede escura, encontrei essa placa. E ali fiquei, por alguns segundos em extase antes de conseguir tirar essa foto. Esse foi um daqueles momentos em que o universo fala diretamente com você, te põe no prumo, te recoloca no caminho, te abraça e te faz lembrar que tudo conspira a nosso favor quando fazemos os movimentos certos: apaixonados, inocentes e obstinados.

Naquele momento eu soube que seria assim, para sempre.

Living the surprise results of old plans.

E hoje eu volto a olhar essa placa , já passados 1 ano e meio da viagem, meu grande plano até então, e vejo uma série infinita de possibilidades que criei, de planos que sonhei – e construí – . Vivendo cada dia como um presente. E o futuro, essa doce surpresa.

 

 

Facebook Twitter